quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Logunedé


Logunede

Vaidoso como oxum e astuto como Oxossi. Vive no âmago das florestas, em clareiras à beira de rios. Grande caçador usa ofá (arco e flecha) quando caça, e abebé (leque) em seus momentos de vaidade. Dorme nas profundezas dos rios e banha-se nele para manter a fartura da pesca.

Arquétipos:
Inconstantes e indecisos, refletem o caráter dualístico da divindade. Encontram dificuldade em situações onde é preciso se definir. Por isso, além de carinhosos, amorosos e sensuais, são alternadamente, frios e calculistas. Bonitos, orgulhosos e vaidosos; são ao mesmo tempo reservados e um pouco calados. Ciumentos e um tanto solitários e discretos; são ao mesmo tempo pessoas atraentes e sedutoras.

Lendas:

Um dia oxum Iponda conheceu o caçador Erinlé. E por ele se apaixonou perdidamente.
Mas erinlé não quis saber de oxum. Oxum não desistiu e procurou um babalaô.
Ele disse que erinlé só se sentia atraído pelas mulheres da floresta, nunca pelos do rio.
Oxum pagou o babalaô e arquitetou um plano: Embebeu seu corpo em mel e rolou pelo chão da mata. Agora sim, disfarçada de mulher da mata, Procurou de novo seu amor.
Erinlé se apaixonou por ela no momento em que a viu. Um, esquecendo-se das palavras do adivinho, Ipondá convidou erinlé para um banho no rio. Mas as águas lavaram o mel de seu corpo E as folhas do disfarce se desprenderam. Erinlé percebeu imediatamente como tinha sido enganado E abandonou oxum para sempre. Foi-se embora sem olhar para trás. Oxum estava grávida; deu à luz logun-edé. Logun edé é a metade oxum, a metade rio, E é metade erinlé, a metade mato. Suas metades nunca podem se encontrar
E ele habita num tempo o rio e noutro tempo habita o mato. Com o ofá, arco e flecha que herdou do pai, ele caça. No abebé, espelho que recebeu da mãe, ele se admira.
Erinlè teria tido, com Oxum Yéyépondá, um filho chamado Lógunède, cujo culto se faz ainda, mas raramente em Ilexá. No Brasil tem numerosos adeptos. Tem por particularidade viver seis meses do ano sobre a terra, comendo caça, e os outros seis meses, sob as águas de rio, comendo peixe. Ele seria também, alternadamente do sexo masculino, durante seis meses, e do sexo feminino durante os outros seis meses.
Esse deus, segundo se conta na África, tem aversão por roupas vermelhas ou marrons. Nenhum dos seus adeptos ousaria utilizar essas cores no seu vestuário. O azul turquesa, entretanto parece ter sua aprovação. É sincretizado na Bahia com São Expedito.
Seria também alternadamente nestes períodos, masculino e feminino respectivamente, razão pela qual, seus filhos alteram períodos distintos durante o ano, ou até mesmo durante o dia, de alteração de humor, gosto, vontade, sendo mais distinto, longos períodos (duram mais ou menos seis meses cada), em que adota, de uma forma mais preponderante (nunca totalmente, apenas prevalece mais uma sobre a outra), ora as características de seu pai oxóssi, com espírito aventureiro (no sentido de viagens), desligado com padrões, roupas e cuidado específico com seu corpo; em outro aspecto, assume, da mesma forma já explicada, as características da sua mãe Oxum, sendo dócil, meigo, afável, carente, amoroso, sensível, brioso e trabalhador determinado. Valendo tanto para homens ou mulheres que tenham esse orixá. Sua cor é o azul turquesa com amarelo ouro.

Arquétipos

Geralmente são pessoas bonitas, e de trato fácil, orgulhosos de sua beleza, eternos jovens e mulherengos, calmos e educados, ciumentos, individualistas, pão duro, narcisistas, o que é seu é seu, muito vaidosos, gostam de demonstrar grandezas, quando ver coisas caras ou baratas, compram sempre as mais caras.

Oferenda                                   Omolokum para Logunedé

Ingredientes:                                500g. de feijão fradinho
500g. de milho
1 cebola
4 ovos
azeite de oliva
Modo de preparo:
Coloque o feijão fradinho para cozinhar com cebola e azeite de oliva. Em outra panela cozinhe o milho. Depois do feijão fradinho cozido amasse-o bem até formar uma pasta. Em uma travessa coloque o omolokum (massa do feijão fradinho) de maneira que ocupe a metade da travessa e na outra metade coloque o milho cozido, regue com oliva e enfeite o omolokum com os quatro ovos cortados em quatro, e o milho enfeite com côco cortado em tirinhas. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário