quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Tempo - Iroko


Tempo

Iroko é um Orixá pouco cultuado no Brasil; Seus filhos também são raros. Iroko vive na mais suntuosa árvore que há numa roça de candomblé' e também nas matas. Representa a ancestralidade, nossos antepassados, pais, avós, bisavós, tataravôs. Representa também o seio da natureza, morada dos orixás... Desrespeitar iroko (grande e suntuosa árvore) é desrespeitar sua dinastia, seus avós, seu sangue... Iroko representa a história do ylé, assim como, de seu povo... Protegendo sempre o mesmo das tempestades. Iroko protege muito seus filhos...

Arquétipos: Eloqüentes, ciumentos, camaradas, inteligentes, competentes, teimosos, turrões e generosos. Gostam de diversão: dançar e cozinhar; comer e beber bem. Se apaixona com facilidade, assim como gostam de liderar. Dotados de senso de justiça, são amigos queridos e inimigos terríveis. Porem se reconciliam facilmente.
Não conseguem guardar segredos.
 
  • Iroko = orixá da gameleira (no Brasil), controla a hemorragia humana.

Lendas:        QUEM PROMETE A IROCO DEVE CUMPRIR.

Havia uma vendedora de obis e orobôs que todos os dias, ao ir para o mercado, passava por um grande pé de Iroko e lhe deixava uma oferenda, pedindo que ajudasse a engravidar, assim mais tarde, teria alguém para ajudá-la com a mercadoria que carregava na cabeça num pesado balaio e, também companhia na velhice. Prometia a Iroko um bode, galos, obis, orobôs e uma série de oferendas da predileção do Orixá da Arvore. A mulher concebeu e deu a luz a uma filha, esquecendo-se da promessa no mesmo instante. Ao ir para o mercado, escolhia outro caminho, esquivando-se de passar perto de Iroko, com medo que o Orixá cobrasse a promessa. A menina cresceu forte e sadia e, um dia a mulher teve necessidade de passar, com a filha, perto de Iroko.
Não tinha outro jeito se não por ali. Saudou a arvore, sem se deter, e seguiu seu caminho, com o balaio na cabeça. A criança parou junto a quem lhe tinha dado a vida (sem de nada saber), achando Iroko belo e majestoso. Apanhou uma folha caída no chão e não se deu conta que a mãe seguia em frente, andando mais depressa que de costume, quase correndo. Quando a mulher percebeu que tinha caminhado ligeiro demais, já estava muito afastada da menina. Olhando para trás. Viu a arvore bailando com a criança e falando da promessa abandonada. As enormes raízes abriram um buraco na terra, suficientemente grande para tragar a menina, propriedade do orixá. "Quem prometer que cumpra".

Tempo ou Kitembo é um inkice da nação de Angola que se assemelha ao Iroko da nação Ketu e ao vodun Loko da nação Jeje. Tempo é o inkice senhor das estações do ano, regente das mutações climáticas. Ainda, é considerado o Pai da Maionga, que é o banho usado pelos seguidores e iniciados da Nação de Angola, tendo sua maior vibração justamente ao ar livre, ou seja, no tempo. É exatamente ali, no tempo, que este banho feito de ervas, água do mar, de cachoeira, de rio, chuva e outros elementais vão consagrar através de tempo este iniciado. 
Tempo está associado à escala do crescimento, por isso sua ferramenta é uma escada com uma lança voltada para cima, em referência ao próprio tempo. Rege as estações do ano e está ligado ao frio, ao calor, à seca, às tempestades, ao ambiente pesado e ao ambiente agradável.

 Lendas

Tempo era um homem muito agitado que fazia e resolvia muitas coisas ao mesmo tempo.
Entretanto, este homem vivia reclamando e cobrando de Zambi que o dia era muito pequeno para fazer e resolver tudo que quisesse.
Um dia, Zambi lhe disse: "Eu errei em sua criação, pois você é muito apressado.".
Ele então respondeu a Zambi: "Não tenho culpa se o dia é pequeno e as horas miúdas, não dando tempo para realizar tudo que planejo".
A partir desse momento, Zambi então determinou que esse homem controlasse o tempo.
Tendo domínio sobre os elementais e movimentos da natureza.
Assim nasceu o inkice Tempo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário