quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Pontos de Pombogira

PONTO DA POMBA GIRA MARIA QUITÉRIA!


Pomba gira Maria Quitéria você é a essência do mal!
Deixa o rico na miséria!
E o pobre sem vergonha!

Se a saudade mata-se muita gente morreria!
Eu seria o primeiro que esta maldita mataria!

Meu coração está perdido!
Nesta estrada do destino!
Vou chamar a Lúcifer!
Que é o meu grande amigo!

eu já te amava no passado!
E te amo no presente! Se Lúcifer me ajudar!
Eu vou te amar eternamente!

Pombogira Barantina

Peneira que côa ouro, >.
Não pode coar fubá>bis
Na gira de Barantina, >.
Quero ver saia rodar>bis

Pombogira Cigana


No caminho do terreiro
Encontrei uma mulher
Vinha linda e perfumada
Quis saber quem ela é
Pombagira cigana>
Pombagira, ela é>.
Ela vem caminhando, >.
Ela chega girando>
Na ponta do pé>


Vinha caminhando a pé>
para ver se encontrava>
a minha cigana de fé. >bis
Ela parou
e leu a minha mão
e disse todas as minhas verdades
Eu só queria saber>
aonde mora>
pombagira Cigana de fé>bis


A sua tenda
Está firmada na estrada
A sua vida tem história pra contar
Ela não tem paradeiro
Anda de lá pra cá
Traz uma rosa na mão
Para lhe ofertar
Traz um baralho na mão
Para lhe ajudar

Bem que eu te avisei
Que você não joga se essa cartada comigo!
Você parou no valete e eu parei na dama!
Amigo você não me engana!
Pombagira das almas não é Pombagira Cigana!

Pombogira da Calunga


Já mandaram me chamar
Pombagira vai girar
Pombagira da Calunga
Vem aqui pra trabalhar
A moça que está na praia
Peixinho sabe quem é
É vermelha a sua saia
Vai chegar exu mulher

Dentro da calunga eu vi
Uma linda mulher gargalhar!
Era Pombagira da Calunga
Que começa a trabalhar!

Não é mulher de ninguém! (2 X)
Quando entra na demanda
Só vai por sete vinténs!


Pombogira da Praia

A marola do mar já vem rolando
Pombagira da Praia já deu sua risada!
Ela é mulher bonita, muito formosa.
Trabalhando na areia ou na encruzilhada!

Quem quiser vá ver
Quem não crê que vá olhar!
Pombagira da Praia, meu sinhô.
Vem nas ondas do mar,
Vem nas ondas do mar!

Pombogira das Almas

Minha senhora das almas
Atira e não erra mira!
Ela é minha protetora
Saravá sá Pombagira!

Pombogira das Sete Saias

Ela é uma moça bonita
Ela é a cigana das saias
Ela é Pombagira da Encruza    
É Pombagira das Sete Saias
Com sua saia rodada
Ela vem girar, girar.
Ela vence demanda na gira
Ela vem pra trabalhar

Pombogira de Maceió


Pombagira ê a ê
Pombagira de Maceió>bis
Mas ela é a Pomba Gira, >.
Pombagira de Maceió>bis
Auê auê auê
a pombagira é de Maceió
Auê auê auê
a pombagira é de Maceió
Aonde mora a pombagira?
Pombagira é de Maceió
Aonde mora a pombagira?
Pombagira é de Maceió.

Pombogira Maria do Balaio

No portão do cemitério>
Eu vi uma mulher a gargalhar > bis
Mas ele é Maria do Balaio.
Mas ele é Maria do Balaio.

Pombogira Maria Farrapo

De bar em bar
Vem chegando a umbanda
Bebendo cachaça
Ela vem vencer demanda
Foi mulher da vida
Tem história pra contar
Saravá Maria Farrapo
Ena, ena mojibá.

Pombogira Maria Mulambo

Aquela rosa que plantei na encruzilhada
Aquela rosa que plantei no meu jardim
Maria Mulambo, Maria Mulher.
Maria Padilha rainha do Candomblé

Quem é essa moça
Que vem estalando
Osso por osso
É Maria Mulambo
Que mora no fundo do poço.

Boa noite moça
boa noite (bis)
Dona Maria Mulambo
Como eu lhe procurei (bis)
Andei, andei, andei
Hoje eu te encontrei (bis)


Maria Mulambo embaixo de uma figueira
ela sambava em cima de uma fogueira
Maria Mulambo embaixo de uma figueira
ela sambava em cima de uma fogueira
Maria Mulambo deu uma forte gargalhada
e esperou seu Tranca Rua
na primeira encruzilhada.
Maria Mulambo deu uma forte gargalhada
e esperou seu Tranca Rua
na primeira encruzilhada.


Mas que caminho tão escuro
Que vem passando aquela moça
Mas que caminho tão escuro
que vem passando aquela moça
Com vestidinho de chita
Estalando osso, osso por osso.
Com vestidinho de chita
Estalando osso, osso por osso.
Mas a pombogira
É a Tata Mulambo
Mas ela é a Pombogira
É a Tata Mulambo
Com vestidinho de chita
Estalando osso, osso por osso.
Com vestidinho de chita
Estalando osso, osso por osso.


Mas que mulher é aquela
Que vem de rua em rua
Bebendo marafo
E caindo na rua
Ela é a Pombogira
Ela é Maria Mulambo (repetir)


Mulambo rainha divina
A deusa encantada
O seu gongá tem segurança
A sua história é marcada
Ela é rainha, ela é mulher.
Ela é rainha, ela é mulher.
Pedacinho de Mulambo
Para quem tem fé


Olha minha gente.
Ela é farrapo só!
Pombagira Maria Mulambo
É de corócoco!
 Mulambo, Mulambo
Por onde você andou?
Foi presa e acorrentada
Foi Tranca Rua quem salvou o seu amor
Quem ver você sorrir pensa que é feliz
Mas ela traz uma marca no peito
E só Deus sabe o por que!


Maria Mulambo traz
Linda saia com sete guizos
Quando roda nos terreiros
Trabalhando nas demandas
Mostra que tem muito juízo!

Pombogira Maria Padilha das Almas

Deu... uma ventania, ô ganga
No alto da serra
Deu... uma ventania, ô ganga
No alto da serra
Exu..., Maria Padilha, ô ganga.
Que vêm, vêm girar na terra (repetir).
Nos sete cruzeiros
Ela é uma rainha
Ela tem a força de Omolú
É o braço forte de Ogum Megê
É o raio de luz de Iansã
Ela é coroada de força
Ela é coroada de luz
Ela é Maria Padilha
Que na calunga tem muita luz


Exu Maria Padilha trabalha
Na encruzilhada
Toma conta, presta conta.
Ao romper da madrugada
Pombagira, minha comadre,
Me proteja noite e dia
Trabalhando na encruzilhada
Com suas feitiçarias
Exu Maria Padilha


Padilha,
Soberana da estrada
Rainha da encruzilhada
E também do Candomblé
Suprema é uma mulher
De negro
Alegria do terreiro
Seu feitiço tem axé
Mas ela é, ela é
Ela é...
A rainha da encruza
A mulher de Lúcifer


Moça me dá
Um cigarro do seu
P'rá fumar
Que nem dinheiro eu tenho p'rá comprar (repetir)
Vivo sozinho
Vivo na solidão,
Maria Padilha
Me dê sua proteção


Cemitério é praça linda
É lugar p'rá passear
Cemitério é praça linda
É lugar p'rá passear
Numa catacumba branca
Maria Padilha mora lá
Numa catacumba branca
Maria Padilha mora lá
Mora lá, mora lá
Maria Padilha mora lá
Mora lá, mora lá
Maria Padilha mora lá


Maria Padilha
Rainha do Candomblé!
Firma curimba
Que tá chegando mulher!

Maria Padilha
Traz linda figa de ouro
Oi saravá Rainha linda de quimbanda
Sua proteção é um tesouro!

De onde é que Maria Padilha vem?
Aonde é que Maria Padilha Mora?
Ela mora na mina de ouro
Onde o galo preto canta
Onde criança não chora

Quando eu toco tambor
Eu só toco pra ela
Seu olhar é sereno
Seu olhar me fascina.
Ela vem girando na linha das almas
É a Maria Padilha!

Pombogira Maria Quitéria

Ali vem Sá Maria Quitéria
Trazendo um ache no pé
Balançando sua saia
Reforçando a nossa fé.

Pombogira Menina

Olha que menina
Olha que menina bela!
É Pombagira Menina
Me chamando na janela!

Ela é uma beleza
É Pombagira Menina!
Na demanda não bambeia
Sua morada é na esquina!

Pombogira Rainha

Meu sinhô, meu sinhozinho!
Gargalharam na encruzilhada!
Era Pombagira Rainha, sinhô
Que reinava na madrugada!

Queriam bem a exu
Queriam bem a exu, gente!
Eu quero bem a dona Rainha
Queiram bem e exu, gente!

Ela está no reino, auê
Ela vem saravá auá!
Pombogira Rainha auê
É Rainha do mal auá!

Auê Pombagira Rainha
Comanda a madrugada!
Quando chega nas encruzas
Dá logo sua gargalhada!


Pombogira Rainha do Cruzeiro

O seu manto é de veludo
Rebordado todo em ouro
O seu garfo é de prata
Muito grande é seu tesouro!

Lá no cruzeiro da calunga
Eu vi uma farofa amarela
Quem não acredita em Pombagira do Cruzeiro
É muito bom não mexer nela!

Pombogira Rosa Caveira

Rosa Caveira... Rosa Caveira...
Ela é o exu que nasceu na porteira!
Não se põe sobre a mata
Não se põe sobre a mesa
Ela é o exu que acompanha o Caveira!

Pombogira Rosa Vermelha

Que rosa tão bonita
Que rosa tão encarnada
Pombagira da calunga
E também da encruzilhada
Eu quero ver Pombagira, eu quero ver
Eu quero ver a senhora lá na encruza

Rosa Vermelha... Rosa Vermelha sagrada
Rosa Vermelha é Pombagira das Sete Encruzilhadas!
Quando ela vem... vem girando
Cantando e dando risada
Cuidado amigo ela está de saia rodada!

Ela é... uma rosa
Que nasceu num pedestal de espinhos
Saravá Maria Padilha
Se tu és uma rosa
Uma rosa formosa nos meus caminhos!

Pombogira Rosita

Rosita é uma moça bonita
Que usa vestido de chita
E vem para girar
Colar, brinco e pulseira
Pra todos agradar
É a Pombagira Rosita
Que vem pra trabalhar

Pombogira Sete Ondas

Eu vi um balanço no mar
Pombagira Sete Ondas levantou
Ela vem no terreiro de Umbanda
Desmanchar mironga
Pro seu filho que chamou


 Pombogiras (diversos)


Arreda homem, que aí vem mulher
Arreda homem, que aí vem mulher
Ela é a Pombogira
Rainha do Candomblé
Seu cumpadre vem na frente
P'ra dizer quem ela é
Ela tem sua coroa
Quem lhe deu foi Lucífer
Na sua encruza
Ela faz o que ela quer
Ela queima sua fundanga
E ainda diz que é buscapé


 Uma rosa cor de sangue
Cintila em minha mão
Um sorriso que nas sombras
Não diz nem sim nem não
Põe na boca cigarrilha
E mais se acende o olhar
De quem conhece o bem e o mal
De quem quiser amar


De vermelho e negro
Vestindo à noite, um mistério traz
De colar de ouro, brinco dourado
A promessa faz
Se é preciso ir, você pode ir,
Peça o que quiser
Mas cuidado amigo, ela é bonita,
Ela é mulher
E no canto da rua girando, girando
Girando está
Ela é moça bonita,
Girando, oi girando, oi girando lá
Oi girando está ,olelê>


Oi girando lá>bis

Exu fez uma casa
Com sete portas e sete janelas>bis
Exu não precisa de casa
É Pombagira que vai morar nela

Agüenta a gira>
Segura e ponta>
Deixa a gira girar> bis
Ela vem trabalhar
A Pombagira acaba de chegar
Pombagira que dança é essa...
Pombagira que dança é essa>
Que faz a vida da gente dançar> bis
É a dança da lua
É a dança da rua
É a dança da moça
Que traz alegria


Pombagira cadê sua saia linda
Pombagira cadê sua saia rodada
Pombagira arriou
Logo deu sua gargalhada

Desempregado
Ninguém pra me ajudar
Aluguel atrasado
Agiota cobrando
A mulher me avisando
Que ia me deixar
Fui na macumba
Pra me benzer
Uma moça bonita
Parou na minha frente
Me disse: Compadre,
eu ajudo você
Preste atenção
No que é pra fazer
Me acenda uma vela
Farofa amarela
Com o nome dela
Na encruza de T
Na encruza de T
Na encruza de T
Me acenda uma vela
Farofa amarela
Com o nome dela
Na encruza de T
Hoje estou bem
Toco no meu bar
Com disco gravado
Carro importado
Dinheiro aplicado
É melhor não espalhar
Só com minha mulher
Que não deu mais pé
Mas não tem problema
Nem é pra ter pena
Porque hoje eu tenho
A mulher que eu quiser
Valeu Pomba Gira
Da encruza de T
Valeu minha Comadre
Essa eu devo a você
Nessa Pombagira
Minha fé ninguém tira
E o que for pra ela
Eu não vou esquecer
Não vou esquecer
Não vou esquecer
De acender uma vela
Farofa amarela
E o que mais for dela
Na encruza de T
Na encruza de T
Na encruza de T
Tudo o que for dela
Farofa amarela
Acender uma vela
Na encruza de T


Pombagira, gira, gira
Saravá Pombagira na encruza
Pombagira, gira, gira
Saravá os seus manos na encruza
Saravá Tranca Ruas na encruza
Pombagira, gira, gira
Saravá os Exus na encruza
Pombagira, gira, gira
Saravá todo povo da encruza


Pombagira oh>
Pombagira, ê> bis
Ela é a rainha da encruza
A encruza de T
Ela é formosa
Formosa e rainha
Rainha da encruza
Da encruza de T
Ela é bonita
Bonita e vaidosa
Vaidosa e rainha da encruza de T
Pombagira, oh>
Pombagira, ê>
Ela é rainha, da encruza de T> bis


Gira, gira, gira
Vamos todos girar
Já chegou a Pombagira
Que veio trabalhar

Pombagira parangole
Quando é Pombagira
Ela gira no seu congá
Quando é Pombagira
Pombagirê>
Pombagirá>
Chegou Pombagira para trabalhar> bis


Pombagira é...
Mulher que não teme marido
Não mexa com ela
Ela é um perigo

Está na atalaia de Pombagira> bis
De Pombagirê, para quem não dá> bis
Oi Pombagirê, Pombagirá, ô
Oi Pombagirê, Pombagirá
Olha a Pombagirê
Olha a Pombagirá
Leva mironga pro fundo do mar

Pombagira tem sete maridos
Olha a Pombagirê
Olha a Pombagirá
Pombagira da saia rodada
Que bebe, que fuma
Na encruza fechada
Olha a Pombagirê>
Olha a Pombagirá> bis
Pombagira Maria Mulambo
Maria Padilha
Rainha das almas
Pombagira das sete encruza
Rainha do lodo, Cigana falada
Olha a Pombagirê>
Olha a Pombagirá> bis

Vestidinha de chita
saia cheia de nó.
Vestidinha de chita
saia cheia de nó.
Ela é a Pombogirê
Ela é a Pombogira

Na família de Pombagira
Só não entra
Quem não quer (bis)
É Maria Molambo
É Maria Farrapo
É Maria Padilha
É Maria Mulher (bis)

Ô boa noite pra quem vem de longe
Ô boa noite pra quem vem chegando
É boa noite pra moça bonita
É pra ela que estamos cantando
Vou por sete rosas vermelhas
Lá na encruzilhada
É lá que a moça bonita
Dá a sua risada! rahahahaha

Eu vi uma linda mulher
Lá no cruzeiro a girar
Com seu olhar e seu sorriso
Que só me faz enfeitiçar
Eu vou chamar por você
Eu vou chamar quando a lua sair
O seu olhar é que me fascina
Que só me faz enfeitiçar!

Tiriri faca de ponta
Olha a capoeira que quer te pegar
Olha a moça que gosta de samba
Olha o moço que quer batucar
Aruê, aruê, aruê,
Aruê, aruê, aruá

Salve Seu Tranca Ruas
E também sua mulher
Formosa, formosa, formosa ela é
Trabalha na Umbanda
E também no Candomblé
Pombagira formosa, formosa ela é
Trabalhando com seus filhos de fé

Subida de Pombogira

Pombogira que vai girar>
Vai girar, vai girar>
Vai pro fundo do mar>bis
Vai, vai, vai Pombagira>bis- 3 x

A Umbanda me chamou
Na Umbanda eu trabalhei
Vou embora pra minha Quimbanda
Que a minha Quimbanda me chamou

Vai Pombagira, vai passear
Numa noite tão bonita
Numa noite de luar

Adeus Pombagira, adeus
Encruzilhada chama
E ela vai oló (bis)
Seu cavalo fica aqui
E ela vai numa gira só (bis)








Nenhum comentário:

Postar um comentário